O atendimento psicológico domiciliar direciona-se ao bem-estar emocional do paciente e da família, para que o sofrimento psíquico seja amenizado e o tratamento seja o mais satisfatório possível.

Este tipo de atendimento é oferecido às pessoas impossibilitadas ou diante de limitações para se locomover até o consultório. Exemplos de alguns casos: quando o paciente tem alguma doença, quando sofreu algum acidente ou quando sofre de alguma psicopatia: depressão, transtorno do pânico e esquizofrenia.

No atendimento domiciliar, o profissional pode acompanhar a realidade do paciente, o que lhe permite proteger, compreender e traduzir as representações do paciente sobre o seu processo, além de observar as características da dinâmica familiar. O paciente é sempre o mais beneficiado neste tipo de atendimento. O pedido ou a indicação para o atendimento psicológico domiciliar pode ser feito pelo próprio paciente, por seus familiares, pelo médico ou pela equipe de saúde que o assiste.